Veja quem está na mira da obesidade

Não é todo mundo que sabe, mas uma das maneiras de prevenir doenças cardiovasculares, diabetes, colesterol e até mesmo o câncer de mama é evitando a obesidade.

Visando alertar a sociedade para os perigos do excesso de peso – prato cheio para o desenvolvimento de distúrbios, no Dia de Combate a Obesidade - 11 de outubro, o Hospital Bom Samaritano (HBS) leva informação e convoca a população a adotar hábitos saudáveis.

Xô obesidade

A mudança do estilo de vida é fundamental para prevenir o excesso de peso. Praticar atividades físicas, alimentação equilibrada, nos horários corretos e com variedade de frutas, verduras e legumes é um grande passo para sair do sedentarismo e ficar mais longe da doença.

Hábitos simples como trocar o elevador pela escada, fazer uma pequena caminhada e até mesmo optar pela bicicleta em vez do carro já ajuda a ativar o corpo e acelerar o metabolismo.

Em casos complexos, com grau de obesidade avançado e doenças já associadas, a cirurgia bariátrica é uma recomendação, mas o recurso só é indicado quando o paciente não tem êxito com outros tratamentos. O Hospital Bom Samaritano é habilitado pela Portaria Nº 496, de 29 de maio de 2012, para realizar o procedimento cirúrgico. Somente no último ano foram realizadas 355 cirurgias.

“A obesidade tem sido definida como doença crônica associada ao excesso de gordura corporal (acúmulo de tecido adiposo localizado e generalizado), com origem complexa, mas na maioria das vezes sendo resultado de maus hábitos adotados, emocional e até mesmo genética,” como conta o cirurgião bariátrico do HBS, Emerson Araújo.

O ponteiro da balança subiu e a roupa ficou apertada

O diagnóstico da obesidade é feito pelo cálculo do Índice de Massa Corpórea (IMC): divisão entre o peso e a altura elevada ao quadrado. Se o resultado desse parâmetro adotado pela Organização Mundial de Saúde for maior que 30, significa que a pessoa já se enquadra na Obesidade Grau I.

A doença também dá diversos sinais como dificuldade na locomoção e cansaço frequente.

Para marcar a data

Os pacientes que passaram pelo ambulatório do HBS receberam uma salada de frutas preparada pelo Serviço de Nutrição e Dietética junto com um cartão de orientações sobre adoção de hábitos saudáveis.

 

Tecnologia Auditiva é tema de curso no Hospital Bom Samaritano

O domingo, dia 6, foi de atualização para médicos otorrinolaringologista e a fonoaudiólogos, através de uma parceria entre o Hospital Bom Samaritano (HBS), a Oticon Medical e a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF/GV), pela primeira vez no Vale do Rio Doce foi ofertado o curso, “Sistema Ponto – indicações e procedimentos cirúrgicos”.

O Sistema Ponto é uma prótese auditiva que usa da capacidade natural do corpo para transferir o som através da condução óssea.  Na formação, o médico otorrinolaringologista do HBS, Emerson Monteiro, falou sobre o implante coclear e seus aspectos práticos para os profissionais.

“Este tipo de aparelho é uma tecnologia implantada no crânio, geralmente para pessoas que tiveram má formação e por isso precisam deste tipo de ajuda – este recurso é diferente do convencional”, explica Monteiro, e ainda completa, “esse foi um curso prático, que geralmente é oferecido em capitais como São Paulo e Rio de Janeiro e conseguimos trazer para cá. Tivemos mais de 30 profissionais participando”.

Referência em Implante Coclear

O Implante Coclear é realizado no Hospital Bom Samaritano desde 2009 quando foi habilitado através da Portaria Nº 418, de 25 de novembro de 2009, e em 2018, por cumprir todas as exigências foi reabilitado para realizar o procedimento bilateral.

Popularmente conhecido como ouvido biônico, o implante coclear é um aparelho que é colocado na orelha, através de uma cirurgia, e faz o trabalho das células lesadas do ouvido interno, devolvendo ou mesmo criando, a capacidade de captar e compreender o som. O som já captado é enviado diretamente ao nervo auditivo, por meio de estímulos elétricos, chegando até o cérebro, o que possibilita uma escuta. A partir disso a fala, por exemplo, poderá ser desenvolvida.

Além do procedimento cirúrgico, no Hospital Bom Samaritano, o paciente tem todo acompanhamento periódico, com psicólogos e fonoaudiólogos que realizam diversas terapias e exercícios para a aprendizagem e desenvolvimento das habilidades auditivas e também da linguagem oral para que a pessoa ter uma evolução completa.

Beneficência Social Bom Samaritano abre formação para capelães

Fé, confiança e esperança, fenômenos fundamentais que devem ser fortalecidos em enfermos nas horas mais difíceis e que são levados pelos capelães, como são chamados os religiosos – sejam pastores, ministros, diáconos ou leigos responsáveis para prestar assistência espiritual.  

Para formar novos ministros, a Beneficência Social Bom Samaritano (BSBS), mantenedora do Hospital Bom Samaritano (HBS) em parceria com a Ordem dos Capelães Evangélicos de Governador Valadares (OCEV) realiza no próximo dia 12/10 o Treinamento em Capelania Hospitalar.

O curso será realizado no HBS, das 8h até as 15h, e tem inscrições gratuitas. Ao todo, cinco formações serão ministradas pelo: coordenador da capelania do HBS, Pr. Pedro Cândido; mestre em assistência, Capelão Rodrigues; gerente assistencial do HBS, Flávia Linhares; Gestora de Qualidade do HBS, Samilly Januth e a assistente social do HBS, Rosamara Fraga.

Segundo o coordenador da capelania do HBS, Pr. Pedro Cândido, será um dia de formação para quem tem o dom de levar o cuidado, “serão abordadas as técnicas de visitações e procedimentos em unidades hospitalares”. Ainda lembra, “é muito importante para a pessoa que se encontra hospitalizada receber visita de alguém que estende a mão amiga, que leva uma palavra de carrinho e consolo. Isso ajuda muito no tratamento e recuperação”.

O curso contara com certificado e as inscrições gratuitas podem ser feitas pelo (33) 99193-2819.

Direção do Hospital Bom Samaritano defende setor filantrópico na Câmara Federal

Reafirmar a importância dos Hospitais Filantrópicos e Santas Casas e pedir uma atenção especial, com essa missão os gestores do Hospital Bom Samaritano (HBS), de Governador Valadares, mantido pela Beneficência Social Bom Samaritano (BSBS), participam nesta quarta-feira, dia 2, em Brasília, da reunião da bancada mineira da Câmara Federal para defender o setor filantrópico junto aos deputados que aprovarão os recursos do Governo Federal em 2020.

Segundo o conselheiro da BSBS, Renato Fraga, apresentar os resultados concretos é uma forma de sensibilizar os deputados, “ocupar um espaço tão importante como a Câmara Federal para mostrar o trabalho da BSBS, realizado no Leste de Minas, é de extrema importância para a sobrevivência dos Hospitais Filantrópicos e Santas Casas. Nosso relatório contábil deixa claro que para atendermos o SUS temos que desembolsar recursos próprios, somente em 2018, foi mais de 10 milhões, uma vez que a tabela que remunera os procedimentos públicos é deficitária, não é reajustada desde 2001! Hoje o Governo reembolsa R$10.00, em uma consulta médica, para pagar o médico e toda a estrutura do hospital, isso sem contar os demais procedimentos”.

Fraga, explica que para a instituição cumprir a sua missão em ofertar o acesso à saúde de qualidade, meio a contingenciamento e atrasos de repasses, um trabalho de articulação política é realizado para compensar a defasagem dos valores praticados pelo SUS, “também captamos recursos na iniciativa privada através de programas como o de Apoio à Atenção Oncológica, recentemente as empresas, ALUPAR, AMBEV, CEMIG, Cielo, Grupo Zaffari, Itaú, Loja Elétrica, Lojas Renner, TAESA, Tambasa, Vallourec e Zema fizeram as renúncias fiscais que beneficiaram o Hospital Bom Samaritano na compra de um aparelho de ressonância magnética. Nesse processo a comunidade também tem o seu papel, é fundamental que todos abracem o HBS, desenvolvemos o Programa Luz Para a Vida, que, através da conta de energia elétrica permite a doação mínima de R$ 5,00 de qualquer morador do estado de Minas Gerais.”

A participação da BSBS é viabilizada pelo deputado líder da bancada, Diego Andrade, antes, somente as instituições das capitais participavam do encontro e eram beneficiadas com emendas parlamentares de bancadas.

O Hospital Bom Samaritano

Em 2018, 76,91% dos atendimentos realizados no complexo de saúde foram para pacientes encaminhados pelo SUS. Foram 8.791 internações hospitalares; 269.255 atendimentos ambulatoriais; no setor de Imagem, que realiza exames como: biópsia, mamografia, raio-x, tomografia e ultrassom, foram 37.578 procedimentos e o laboratório recebeu em média 150 pacientes por dia, sem contar com a UPA 24H, 100% SUS, cuja administração é de responsabilidade da BSBS, e no último ano realizou 74.174 atendimentos, gerando 192.079 procedimentos.

Inscrições para o programa de residência médica 2020 no Hospital Bom Samaritano são abertas

A Beneficência Social Bom Samaritano (BSBS), mantenedora do Hospital Bom Samaritano (HBS), lançou edital para o processo do Programa de Residência Médica. As inscrições podem ser feitas do dia 8 a 21/10 para a prova escrita que será no dia 17/11.

A nova turma terá início em 2020. Ao total serão ofertadas oito vagas, sendo duas em cada especialidade: otorrinolaringologia, cancerologia, cardiologia e nefrologia. As opções são divididas entre entrada direta, para quem vem da graduação e entrada com pré-requisitos, para quem já possui residência em clínica médica.

Segundo o superintendente administrativo do HBS, Elvis Deivis, “O Hospital Bom Samaritano já é uma referência em alta complexidade, ensino e pesquisa na região do Vale do Rio Doce, por isso, desde 2014, desenvolvemos o Programa de Residência Médica que é um grande ganho para a comunidade, pois se temos como pilar a educação ajudamos a melhorar significativamente o atendimento dentro da nossa instituição”.

Segundo o coordenador da residência médica, Dr. Adhemar Figueiredo, “a residência é considerada o padrão ouro na formação do médico especialista, sendo praticamente obrigatório para a entrada do Médico no mercado de trabalho,” pontua.

O edital já está disponibilizado (clique aqui) e as inscrições poderão ser feitas no www.aremg.org.br

O Hospital Bom Samaritano

Situado em Governador Valadares, leste de Minas Gerais, o Hospital Bom Samaritano é referência para mais de 1,5 milhões de pessoas por ofertar assistência de alta complexidade em: oncologia com radioterapia, quimioterapia e cirurgia oncológica; cirurgia de redução de estômago; implante coclear bilateral (ouvido biônico); UPA 24h; traumatologia e ortopedia; nefrologia e cirurgia cardíaca.

Abriga um centro cirúrgico com capacidade para procedimentos de pequeno, médio e de grande porte. Possui UTI (Geral e Cardiológica) equipada para vinte leitos, também conta com ambulâncias para transporte de pacientes em viagens ou local.

Em 2019 a instituição conquistou a Acreditação Hospitalar por adotar todos os protocolos estabelecidos pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). 

 Hockey Jerseys