Comunicado Oficial: auditoria e atrasos em cirurgias agendadas para o dia 13/8

A Superintendência da Beneficência Social Bom Samaritano (BSBS), mantenedora do Hospital Bom Samaritano (HBS), esclarece que no início da noite de ontem, 12 de agosto, foi comunicada pela Coordenadora Estadual de Regulação do SUS que deveria suspender as internações de cirurgias eletivas programadas para dia 13/08/2019 até que todos os pacientes em observação na UPA fossem internados pelo Hospital Bom Samaritano.

A Superintendência imediatamente entrou em contato com o Estado para entender a determinação e não a acatando, uma vez que pacientes em observação na UPA são pacientes clínicos e não devem ser internados em leitos cirúrgicos, nem tão pouco prejudicar os pacientes que estão com cirurgias marcadas a meses e que iriam ocupar os leitos cirúrgicos pela manhã, sendo responsabilidade da Central de Regulação do Estado conseguir os leitos clínicos para os pacientes que precisam de transferência, acionou a Secretaria Municipal de Saúde de Governador Valadares que realizou uma Auditoria ainda na noite do dia 12 de agosto, nos leitos do Hospital Bom Samaritano, constatando a indisponibilidade de leitos clínicos para as transferências, exatamente conforme já havia sido relatado pela Superintendência do HBS.

Mesmo diante de todos os esforços do HBS e da SMS/GV a Coordenadora Estadual de Regulação do SUS manteve a decisão de suspensão das autorizações de internação das cirurgias eletivas.

Essa situação gerou um atraso nas cirurgias marcadas para serem realizadas no inicio da manhã de terça-feira, 13 de agosto, porque só por volta das 8h40 o Secretário Municipal de Saúde de Governador Valadares, encaminhou autorização para que as cirurgias agendadas fossem realizadas, conforme já estava previsto.

“Nós entendemos que não adianta tentar resolver o problema da falta de leitos clínicos do SUS na cidade de Governador Valadares comprometendo o atendimento aos pacientes que necessitam de cirurgias eletivas (agendada), considerando que o leito clinico é diferente do leito cirúrgico. É importante que a população saiba que, quando um paciente passa de 24 horas na UPA nós estamos arcando com todas as despesas dele sozinhos, sem ajuda do Município e/ou do Estado, portanto para nós seria ótimo transferi-lo e internar, porque assim passaríamos a receber e ao menos nosso prejuízo seria menor, mas não adianta ocupar o leito que esta reservado para um paciente que vai chegar aqui as 6h da manhã para uma cirurgia que já esta agendada a meses. É nossa responsabilidade cumprir o compromisso das cirurgias agendadas e é responsabilidade da Central de Regulação do Estado disponibilizar o leito clínico para transferir o paciente que precisa de internação para tratamento clínico”, explica o superintendente Elvis Andrade, certo de que a recusa foi a melhor decisão, porque a auditoria da SMS/GV mostrou mais uma vez a transparência do trabalho realizado pela BSBS, uma entidade com mais de 70 anos de serviços prestados a comunidade de Governador Valadares.

Com a crise na saúde no Estado de Minas Gerais, Governador Valadares tem recebido pacientes de Teófilo Otoni, Caratinga e várias outras cidades que não conseguem atender a população. Como não é possível recusar o paciente, a superlotação é uma realidade e a situação dos hospitais que atendem SUS em Valadares é ainda mais complicada, especialmente os particulares, como é o caso do Hospital Bom Samaritano. Tudo isso deve ao fato do atraso nos repasses - só o HBS já acumula um déficit do ESTADO de mais de 3 milhões considerando apenas os serviços prestados na UPA 24 horas, e a construção do Hospital Regional que não foi finalizada até hoje, as obras estão paralisadas e já se arrastam por mais de 5 anos.

 Hockey Jerseys