Direção do Hospital Bom Samaritano defende setor filantrópico na Câmara Federal

Reafirmar a importância dos Hospitais Filantrópicos e Santas Casas e pedir uma atenção especial, com essa missão os gestores do Hospital Bom Samaritano (HBS), de Governador Valadares, mantido pela Beneficência Social Bom Samaritano (BSBS), participam nesta quarta-feira, dia 2, em Brasília, da reunião da bancada mineira da Câmara Federal para defender o setor filantrópico junto aos deputados que aprovarão os recursos do Governo Federal em 2020.

Segundo o conselheiro da BSBS, Renato Fraga, apresentar os resultados concretos é uma forma de sensibilizar os deputados, “ocupar um espaço tão importante como a Câmara Federal para mostrar o trabalho da BSBS, realizado no Leste de Minas, é de extrema importância para a sobrevivência dos Hospitais Filantrópicos e Santas Casas. Nosso relatório contábil deixa claro que para atendermos o SUS temos que desembolsar recursos próprios, somente em 2018, foi mais de 10 milhões, uma vez que a tabela que remunera os procedimentos públicos é deficitária, não é reajustada desde 2001! Hoje o Governo reembolsa R$10.00, em uma consulta médica, para pagar o médico e toda a estrutura do hospital, isso sem contar os demais procedimentos”.

Fraga, explica que para a instituição cumprir a sua missão em ofertar o acesso à saúde de qualidade, meio a contingenciamento e atrasos de repasses, um trabalho de articulação política é realizado para compensar a defasagem dos valores praticados pelo SUS, “também captamos recursos na iniciativa privada através de programas como o de Apoio à Atenção Oncológica, recentemente as empresas, ALUPAR, AMBEV, CEMIG, Cielo, Grupo Zaffari, Itaú, Loja Elétrica, Lojas Renner, TAESA, Tambasa, Vallourec e Zema fizeram as renúncias fiscais que beneficiaram o Hospital Bom Samaritano na compra de um aparelho de ressonância magnética. Nesse processo a comunidade também tem o seu papel, é fundamental que todos abracem o HBS, desenvolvemos o Programa Luz Para a Vida, que, através da conta de energia elétrica permite a doação mínima de R$ 5,00 de qualquer morador do estado de Minas Gerais.”

A participação da BSBS é viabilizada pelo deputado líder da bancada, Diego Andrade, antes, somente as instituições das capitais participavam do encontro e eram beneficiadas com emendas parlamentares de bancadas.

O Hospital Bom Samaritano

Em 2018, 76,91% dos atendimentos realizados no complexo de saúde foram para pacientes encaminhados pelo SUS. Foram 8.791 internações hospitalares; 269.255 atendimentos ambulatoriais; no setor de Imagem, que realiza exames como: biópsia, mamografia, raio-x, tomografia e ultrassom, foram 37.578 procedimentos e o laboratório recebeu em média 150 pacientes por dia, sem contar com a UPA 24H, 100% SUS, cuja administração é de responsabilidade da BSBS, e no último ano realizou 74.174 atendimentos, gerando 192.079 procedimentos.

 Hockey Jerseys